Fantasia e Cia.

Prazer em imaginar.
 

3.2.07

O nascer de um urso (II)

A primeira coisa de que o jovem Oldar se lembra ter sentido pouco antes de abrir os olhos foi o forte cheiro exalado pela cremação da planta medicinal usada para o auxiliar em sua recuperação. A erva Curmélia cresce apenas nas bordas rochosas das Montanhas Rotun, quando essas encontram as margens da Floresta do Sul. Era utilizada como tempero para cozido de patos e coelhos, mas sua fama se devia a suas excelentes propriedades curandeiras, e por isso era costumeiramente usada pelos curandeiros da tribo de Terralta, apesar de seu cheiro peculiar. De qualquer modo, o incomôdo provocado pelos fumos da Curmélia era a menor das preocupações de Oldar... Perdera o pai quando este caçava e foi capturado por orcs do norte, e agora perdera também aquele que havia sido seu mentor nas artes da caça, da guerra, e mesmo da dança tribal... Ao olhar para a face calma e serena de Angor, o curandeiro chefe de Terralta, arregalou os olhos e exclamou: “Gunther! Gunther tombou para o urso negro... Não era um urso qualquer, estava possuído... Havia maitranda no ar!”

“Acalme-se jovem caçador.” – disse-lhe o curandeiro ancião – “Não lhe foi dito que aqueles que se vão desse mundo a caçar são conduzidos com glórias para a mesa de Thrundaar? Não tenha medo meu filho, que no dia de ontem você conquistou uma grande vitória e uma grande honra para a sua tribo... O senhor da montanha deve estar lhe observando de perto. De fato, você tem a sua proteção.”

Embora o jovem Oldar não conseguisse ver vitória alguma no extermínio que se seguiu antes de ele perder os sentidos, ficara feliz por ouvir aquelas palavras do sábio Angor. Eram palavras suaves que o acalmaram naquele momento, e ele voltou a região dos sonhos uma vez mais...

Quando acordou novamente sentiu-se já bem disposto, tanto que levantou-se de um pulo da rede em que estava, mas ao aterrisar no chão soltou um urro de dor, pois suas costelas ainda eram doloridas, e seus cortes ainda não haviam se fechado totalmente. Com vergonha, percebeu que todo o conselho dos chefes de Terralta o observavam dentro da tenda de Angor, e foi este que veio em seu socorro uma vez mais: “Sei que está acostumado a sarar rapidamente de cortes e escoriações, jovem urso, mas desta vez seus ferimentos foram muito além do natural, de modo que exigiu-me todo meu conhecimento de cura para deixá-lo como está. E olha que já se foram quase cinco dias desdê que acordou a primeira vez sob o efeito das Curmélias!”

“Cinco dias?! Mas como? Lembro-me de ter acordado algum tempo atrás...”

Angor riu-se e respondeu: “Sei bem como é isso, também já fui envenenado por maitrandas antes, e sei que elas confundem a mente tanto quanto matam o corpo. Não sei bem como escapaste dessa jovem urso, mas fico feliz que o tenha feito!”

Antes que Oldar pudesse se expressar, o guerreiro chefe da tribo de Terralta, Baldin a Grande Rocha, assim falou: “Nenhum de nós sabe, ò Grande Urso. Nunca soube de nenhum pirralho que conseguisse enfrentar e matar um urso negro do porte que mataste, quanto menos quando alguma maitranda está envolvida! Por mais que outros o tenham ferido, por mais fortes que os bárbaros de Terralta o sejam desde a infância, ainda assim teu feito não se explica pelo natural. Feitos como o seu não acontecem aqui nas terras da Floresta do Sul há muitos anos, e portanto, em nome de Thrundaar, eu hoje lhe darei um outro nome... De agora em diante, jovem Oldar, requere que teus irmãos lhe chamem pelo devido nome: Oldalin o Grande Urso!”

Em realidade aquele bárbaro que lhe dera outro nome não era somente o guerreiro chefe de Terralta, como o líder do Grande Conselho Tribal das tribos de todo o sul de Pontepedra, desde o cume norte da Floresta do Sul até a última pedra das Montanhas Rotun já nas costas ao sul. Baldin era um mito, um herói, um guerreiro que todo guerreiro em Terralta respeitava como um rei é respeitado no distante Katai. Naquele dia Oldar então soube que à partir de então seu nome seria Oldalin, e seu futuro, no mínimo, interessante...

continua...

Marcadores: ,

  • Adicionar ao Delicious
  • Adicionar ao Digg
  • Adicionar a Technorati
  • Adicionar ao seu mural no Facebook
  • Adicionar como tweet no seu Twitter

0 comentários:

Postar um comentário

<< Home